As grandes tragédias nos levam a um um grande divã

Image for post
Image for post

Quarentenas. Proibição de embarques de voos. Fechamento de escolas e universidades. Cancelamentos de grandes eventos. Empresas beirando a crise econômica. Cortes na liberdade de ir e vir. Muitas pessoas tiveram suas vidas reviradas de alguma maneira nas últimas semanas.

Admito que cheguei atrasado no jogo. Não acreditei que veria rua vazias e pessoas com medo verdadeiro pelos quatro cantos do mundo. Para mim, isso era enredo de Netflix.

A primeira coisa que pensamos quando temos uma situação dessa é que a nossa liberdade ficou ameaçada e que o mundo está num total colapso nos fazendo grandes vítimas de algo enorme e assustador que fugiu do nosso controle. E não é mentira.

Pode ser assustador tudo isso. Quarentenas são reais. O medo é presente. Filas enormes no sistema de saúde. Gente estocando tudo que consegue. Mas nem todo mundo está pensando com inteligência sobre essa loucura toda.

Por isso queria provocar algumas reflexões sobre toda essa pandemia para tentar fazer minha parte no processo de oferecer uma perspectiva nova sobre isso tudo.

Distanciamento social não significa isolamento social

Ainda é possível entrar em contato com amigos e familiares, bater um papo com seus pais, avós e pessoas mais distantes. Mande mensagens, ligue por vídeo ou por telefone para eles, e, não deixe de conectar-se com outras.

Caso tenha uma rotina mais tranquila, faça questão de realmente ligar-se as pessoas próximas que possam precisar de ajuda ou que estão no grupo de alto risco de alguma forma. Ficar em casa não significa apenas deixar de falar com as pessoas

Consuma as notícias com moderação

Embora seja importante manter-se informado neste momento, acredito que lidar com muita informação desnecessária acaba aumentando nossos níveis de estresse e prejudicando a nossa estabilidade emocional.

A natureza repetitiva com que a imprensa tem de lidar com situações como essa, acaba criando um ciclo de notícias que não é boa para a nossa saúde mental. A imprensa pode ser um reforço negativo para quem não está bem.

Depois de informar-se com o básico, desligue os noticiários e foque em outras atividades que possam te ajudar. Não tem problema intercalar um tempo de informação com a leitura de um livro que já havia planejado ou assistir aquela série educativa no Youtube, mas mantenha um clima de bem-estar com a informação.

Controle sua ansiedade com ações positivas

É difícil não surtar com as mãos atadas, não é? Estar ansioso neste momento é uma resposta completamente normal ao estresse com que esta questão toda gera, mas não dá para simplesmente alimentar mais ainda isso tudo.

Se esta situação começou a afetar sua capacidade de funcionar, se por acaso, você não está conseguindo lidar com essa realidade e percebe que isso tudo criou um clima de angustia em você, procure realizar atividades que te levem a ações positivas de verdade.

Lembre-se de que este é um momento pontual e que precisamos aprender a transportar esse medo em um lugar de ações que possam nos levar para um estado emocional de consciência.

Comece a entender que tudo que é possível ser feito está sendo feito, e que, em poucos meses, tudo isso será realmente apenas algumas páginas dentro de um livro de história.

Cuidar da saúde está acima das questões econômicas

Acho que o maior medo das pessoas gira em torno de como vão ficar seus empregos e negócios durante essa recessão econômica. É inevitável que tudo isso seja afetado bruscamente neste cenário, mas é possível focar em outra direção.

Realmente à medida em que as consequências do coronavírus se espalham pelo mundo, os rendimentos dos trabalhadores e dos empresários despencaram. A falta de conhecimento do futuro é o que desestabiliza os mercados e deixa todo mundo preocupado.

O mundo inteiro já está realmente sentindo dores no âmbito econômico com o surto, especialistas em economia já estão falando de demissões de trabalhadores do varejo, de crises econômicas em companhias aéreas, hotéis, restaurantes e academias. Ainda não sabemos o tamanho do estrago.

Aprenda a lidar com o que não consegue controlar

Agora, o mais importante é ter como prioridade a dimensão de que cuidar de tudo que é possível já é buscar uma solução viável.

A coisa mais importante agora é ter em mente que está fazendo tudo que é possível com as ferramentas que tem em mãos, garantir que a execução de um bom plano está em curso para que no futuro todo mundo que foi afetado possa realmente correr atrás dos prejuízos inevitáveis.

As tragédias globais acabam sendo o divã do mundo. Elas são monumentais e incontroláveis, por isso, é melhor começar a pensar sobre aquilo que realmente é importante na vida e ter a certeza de que estamos indo na direção certa do que precisamos, queremos e podemos fazer.

Pense muito, mas faça o dobro. Cuide de si e de todos os demais que conseguir. O mundo é pesado, mas não precisa carregar sozinho.

Gostou do texto? Quer aprender como contar boas histórias? Conheça mais sobre o Curso Completo de Storytelling. Aprenda a usar ferramentas técnicas totalmente práticas e aplicáveis para ter mais resultados reais com seu público, cliente e audiência.

[Se você gostou do texto, dê 50 palminhas e comente para me deixar saber disso]

Site | Linkedin | Facebook | Instagram | Medium | Newsletter

Written by

#Jornalista e #escritor • TOP VOICE #linkedin 390 mil seguidores • Especialista em #storytelling • Colunista @rockcontent | murilloleal.com.br

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store