Como fui ajudado a lidar com as crises frequentes de cada dia

Se você não quer ler um texto longo como esse, saiba que eu também enrolei muito para começar a escrever ele. E é sobre este nosso problema que quero conversar sério. Bem, no final dele tem coisas que pode te ajudar, mas eu não conseguirei se você mesmo não quer. Não quero ser seu salvador, mas quero te contar umas paradas sobre a gente.

Você provavelmente se sente cansado agora. Mesmo que tenha dormido uma boa noite de sono, que esteja empregado, bem-vestido ou alimentado e que até mesmo não tenha passado por privações enormes diante do mundo inteiro que parece que está caindo aos pedaços.

Pode ser que mesmo assim, se sinta esgotado de tudo. Ainda que não saiba por onde começar a apontar. O pior disso tudo é que você sente culpa por se sentir assim. É como se os seus sentimentos mais ocultos não pudessem aparecer porque você não tem o direito de reclamar. E isso te oprime mais.

Durante um longo período do meu dia, considero que tudo está bem. Faço o que tenho que fazer, mas, ao mesmo tempo, passo metade do dia sem vontade de fazer boa parte das coisas, e a outra metade pensando que uma hora não conseguirei dar conta da intensa agenda de atividades. Essa é a crise de tempo.

Quando falo de muita coisa para fazer não me refiro apenas a atividades como ir ao mercado, responder emails de trabalho, cuidar das crianças ou até mesmo levar o cachorro para fazer xixi, mas daquele esgotamento mental que você não conhece direito a origem. Mesmo quando não está em horário produtivo, a gente sente que está com tudo atrasado.

Então, descobri (ainda que não seja um segredo) que a minha exaustão mental acontece quando meu cérebro recebe muito estímulo ou precisa manter um nível intenso de atividade sem descanso.

O pai tá on e roteando o tempo inteiro

Reparei que frequentemente trabalho por longas horas com poucas ou nenhuma pausa e existem momentos que fico bom tempo assistindo filmes inúteis. Ou seja, ou tudo, ou nada. E é esse o motivo do meu esgotamento.

É como se fosse viajar e tivesse momentos que eu gostaria de diminuir e aproveitar a paisagem e em seguida tivesse que correr porque preciso chegar logo no destino.

Quando gastamos muito tempo lidando com responsabilidades além daquelas que são realmente nossas, unidas a uma condição ainda esmagadora de viver com sintomas de saúde mental, acabamos dedicando muita energia mental para pensar em problemas, preocupações ou outras fontes de estresse.

Somos frequentemente afetados na capacidade de pensar, resolver problemas ou processar e regular emoções. E por vezes, vai nos levar a mais problemas na vida e nos relacionamentos. Tudo está interligado.

Estar bem mentalmente é um fetiche

Geralmente, estamos referindo a ter uma boa condição para desenvolver habilidades cognitivas, como pensamento, memória, tomada de decisão e resolução de problemas e conseguir identificar, processar e expressar-se bem.

Isso não quer dizer não experimentar sentimentos difíceis, dolorosos ou indesejados como pesar, tristeza, raiva, solidão, ansiedade, desapego, desmotivação, sentir-se apático a tudo e preso a sua condição limitada.

Talvez, assim como eu você pode estar enfrentando um constante humor volátil, expectativas baixas ou permanecer boa parte dos momentos sem esperança.

É comum, relatos de pessoas que se sentem obrigadas a conviver com os sentimentos persistentes de ansiedade, com muita dificuldade para se importar com algo, por isso, mantém um certo cinismo ou pessimismo com tudo que o cerca.

Também não é difícil ouvir pessoas confessando que percebem uma alta taxa de irritabilidade ou raiva nascendo, mantendo uma dificuldade para processar e controlar emoções mais pontuais ou sentir pavor por algo que não conhece.

Muitos de nós até percebe uma queda na motivação e na produtividade como um todo em decorrência de um sentimento de letargia, de poucas respostas imediatas a movimentos agressivos e dificuldade em concentrar, pode apresentar dificuldades em lembrar de informações, agrupar ideias e até finalizar projetos importantes, inclusive os que podem mudar isso tudo.

Sem falar nas dores de cabeça e no corpo, problemas de estômago, de sono como fadiga crônica, sonolência, ou insônia mesmo. Gente que lida com alterações no apetite e no peso, carregam cartelas de remédios como um talismã de saúde. Todo mundo já teve uma sensação geral de mal-estar.

Você só precisa parar de ser viciado em você

A realidade é que não podemos mais viver uma vida em que ficamos constantemente adiando tarefas, aceitando um declínio não-natural no desempenho, que muitas vezes é descontado no álcool ou até mesmos em substâncias para ajudar a controlar isso tudo.

Não dá para viver uma vida evitando pessoas com quem você normalmente gostaria de passar o tempo, se irritando com tudo ou se distraindo com coisas que não te mostram um caminho de recuperação.

Não é possível apenas continuar tendo dificuldade em prestar atenção durante as interações, ou se condenar a uma vida gerenciando problemas e responsabilidades para manter compromissos pessoais ou de trabalho, ou até mesmo descontar frustrações em trabalho, estudo ou qualquer atividade como essa.

Não estou falando que a gente tem que resolver tudo de uma vez só, e nem que existe uma cura única para todas essas questões, mas podemos olhar para alguns gatilhos e causas dessa exaustão.

Me denunciei para mim mesmo

E mesmo que varie de pessoa para pessoa, alguns podem ser mais comuns como ter um trabalho exigente ou de alta pressão que te coloque numa longa exposição resultados sem tirar tempo para descansar, enfrentar estresse financeiro, pode ser uma insatisfação na cultura de trabalho, no ambiente, nas relações, na natureza das atividades.

Você pode estar assim porque precisa cuidar de um familiar que está doente ou tem necessidades especiais, conviver com uma doença cronica ou ter uma condição desfavorável de saúde mental, pode ter resquícios de uma perda de familiar, ter tido a rotina mudado pela entrada de um filho ou pode até mesmo ser apenas uma falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal sem apoio emocional.

Eu não vim salvar sua vida e nem te prometer que ficará tudo bem. O que eu queria é te convocar a sair mesmo desse local nebuloso em que desconfiamos que somos reféns, não para ser um grande case de nada, mas, porque sei o que você está sentindo.

Fazer algumas mudanças no estilo de vida pode ajudá-lo a lidar com isso na origem, enquanto as estratégias de enfrentamento podem ajudá-lo a tomar medidas para se sentir mais descansado e renovado ao enfrentar desafios que causam estresse significativo na vida.

Pare de ler texto como esse e não mudar nada

Encontre um caminho possível, invista em uma terapia profissional ou saiba que você está fodido se não fizer nada.

Limpe sua agenda de tarefas não essenciais. Tirar férias prolongadas. Reserve uma hora para si mesmo diariamente. Saia do escritório durante o almoço. Tire uma hora inteira para uma refeição. Caminhe ou faça outra atividade não relacionada ao trabalho. Reserve uma ou duas noites por semana para jantar. Abandone o Netflix e vá ver um filme no cinema com os amigos.

Faça ioga ou só sente no chão da sala sem fazer nada. Jogue video-game ou marque uma massagem no mês. Descubra mais sobre aromaterapia ou leia um livro bobo. Pratique relaxamento muscular progressivo ou corra até seu coração quase sair pela boca.

Tome um banho quente antes de dormir. Brinque de abandonar o telefone ou computador quando chegar em casa. Diminua ou desligue a iluminação desnecessária.

Pense no que come com cuidado. Faça a dieta, mas não leve ela tão a sério. Beba álcool, mas beba o dobro de água. Mesmo que você não esteja com vontade de malhar, faça outra coisa nem que seja uma caminhada pela vizinhança.

Acostume-se a procurar luz natural diariamente, especialmente pela manhã. Crie um suporte social para além das afinidades. Compartilhe sua experiência com os entes queridos. Fique eventualmente em posição de oferecer assistência para alguém com algo importante para ela.

Estabeleça limites mais firmes em torno do horário de trabalho. Pergunte para as pessoas que trabalha e vê mais sobre possíveis de mudanças no local de trabalho. Reserve algumas horas por semana para procurar um novo emprego, mesmo que já ame o seu. Reserve minutos por dia para fazer contatos e explorar oportunidades novas. A cada dois sim, diga um não.

Como eu disse antes, não quero me colocar como um salvador da pátria, apenas quero te provocar (como eu sempre faço por aqui) a fazer algo para reagir a isso tudo. Não sei direito da sua vida, não faço ideia como te ajudar verdadeiramente, mas pelo amor de Deus, encontre algum caminho e trilhe nele. Agora. Leia mais uma vez isso aqui, mas anotando ideias para sua vida, e quando acabar de ler novamente essas palavras, faça algo. Agora.

SITE | LINKEDIN | CURSO DE STORYTELLING

--

--

--

#Jornalista e #escritor • TOP VOICE #linkedin 390 mil seguidores • Especialista em #storytelling • Colunista @rockcontent | murilloleal.com.br

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Murillo Leal

Murillo Leal

#Jornalista e #escritor • TOP VOICE #linkedin 390 mil seguidores • Especialista em #storytelling • Colunista @rockcontent | murilloleal.com.br

More from Medium

Hearing and Taking in Difficult Truths

Watch me Drop Out of Uni

Kobe Bryant’s Rape Case and Our Rituals Around Celebrity Death

Making the most of options