Talvez isso te ajude a melhorar muita coisa em 2023

Murillo Leal
7 min readDec 15, 2022

Jamais me considerei um cara capaz de modificar a vida das pessoas. O que ocorreu foi que, nessa análise pessoal, acabei me tornando um agente de modificações e um incentivador de reviravoltas, especialmente em minha existência, mas, como consequência, na vida de quem me lê.

Após anos escrevendo e conversando com leitores posso dizer que te conheço e sei que fez nariz torto para o tamanho do texto. Sei que um texto falando de como estamos esgotados, cheios de tarefas e com uma preguiça descomunal te faria se sentir melhor agora, mas a verdadeira confiança não é baseada apenas em simpatia pessoal, nunca aceite a convivência nesses termos.

Gente mediocrizante vai te rebaixar te fazendo crer que está te fortalecendo.

Enfim, o que te peço é exclusivamente que termine essa leitura. Faça isso com a maior responsabilidade possível. Ser digno da sua própria confiança requer mais do que apenas aceitar que você não pode, não consegue ou não é apto para aprender com um sujeito desconhecido como eu.

Além do mais, aprendi que a qualidade dos sistemas que escolhemos para viver determina, em última instância, se alguém terá sucesso ou fracassará em um objetivo. Mesmo as melhores estratégias fracassarão se as empilharmos em cima de um sistema falho.

Após perceber que também precisava melhorar alguns pontos da minha vida, elaborei algumas orientações para mim mesmo para esta nova fase da vida e resolvi compartilhá-las com você. Talvez seja útil alguma coisa.

1. Acomode a ordem e rearranje a bagunça que existe na sua mente.

Pensar sobre nossos pensamentos nos ajuda a sermos mais equilibrados. As principais capacidades do pensamento são: analisar, interpretar, deduzir, explicar, manter as ideias em movimento sem censura e conseguir diferenciar pensamento e realismo ou, pelo menos, não confundir o que se quer com o que se vê.

Não basta criticar tudo por hábito, e se tornar uma pessoa que questiona todas as coisas sem critério, sem um método sadio de compreensão, sem se comprometer com a lucidez. A única forma de enxergar a realidade é buscá-la como instrumento fundamental. Mesmo que discorde.

Pergunte coisas básicas. Tenha hipóteses iniciais. Esteja atento aos seus processos mentais. Inverta a situação. Avalie as provas existentes. Tente o máximo possível rastrear as origens dos pensamentos.

Tenha em mente que ninguém pensa de forma crítica 100% do tempo. Tenha certeza do que quer. Lide com seus pré-conceitos. Pense nas consequências reais de suas opções. Realize sua pesquisa sinceramente. Aceite que nem sempre estará certo. Não complique demais as coisas.

Analise seus princípios. Identifique seus vícios. Desenvolva uma sólida noção de identidade. Não se dobre à pressão, ao medo ou à culpa.

2. Cuidado com sua autoimagem

O jeito como nos vemos pode ser um problema porque, ao nos imaginar, estabelecemos um padrão para nos julgar e um discurso de acusação e defesa que se fundamenta nas qualidades que gostaríamos de ter e nos defeitos que pensamos ter.

A maneira como nos vemos está atrelada à nossa percepção sobre o controle dos impulsos, a vontade de arriscar, o autoconhecimento, o equilíbrio entre o egocentrismo e o altruísmo, e também como lidamos com tarefas cotidianas e atividades mais complexas.

Consciência e a biografia se misturam, mas não são a mesma coisa. É relevante ter em mente que você é uma pessoa que está criando uma trajetória e, uma vez que morre, não poderá mais fazer alterações. A isso chamamos de biografia. Enquanto estiver vivo, você não será a sua história, você será a sua consciência.

A consciência é o que te faz buscar o seu melhor usando os recursos que a vida te oferece, interna e externamente. Sua forma não é estática, está sempre se modificando, aumentando a sua própria realidade e incorporando as anteriores.

É importante ter uma boa percepção de si mesmo, como se houvesse uma luz brilhante te mostrando o seu melhor, mesmo que esteja escondido. Chamamos essa luz guia de consciência. Você pode editar sua biografia, mas não sua consciência. Saber disso, muda tudo.

3. Persiga uma rotina produtiva sem ficar ocupado o tempo inteiro.

Podemos nos sentir sobrecarregados e estressados quando temos que lidar com diversas opções. Isso pode nos deixar apáticos e sem vontade de tomar qualquer tipo de decisão. Simplifique sua vida e foque no que é mais importante.

Você pode ser mais produtivo dividindo suas grandes responsabilidades em tarefas pequenas e menos ameaçadoras. Uma vez que você controlou o gatilho exagerado de estresse do seu cérebro, ser produtivo é uma possibilidade.

Divida seus objetivos em partes gerenciáveis. Não fique esperando que esteja sempre produtivo. Converse consigo mesmo sinceramente para saber até onde pode chegar. Planeie de ação que possa cumprir. Vá comemorando as conquistas ao longo do caminho, mas não se contente com pouco.

Peça socorro sempre que tiver a oportunidade. Evite distrações constantes. Tenha cuidado com o mau uso de energia. Se não souber administrar sua energia física, emocional e mental, não será produtivo da melhor maneira possível.

Isso quer dizer que, em determinados períodos, é preciso se apressar e, em outros, é indispensável forçar uma interrupção.

4. Seja intolerante com hábitos que não lhe servem e expulse um por um.

Nosso cérebro, de certa forma, está nos atrapalhando quando tentamos superar vícios. Os centros de recompensa do cérebro mantêm o desejo pelas coisas que tanto resistimos.

Comemos, não porque tivermos fome, mas sim porque estávamos entediados. Passamos horas fazendo coisas bobas ou checando compulsivamente as redes sociais, não porque gostamos, mas para fugir do estresse e da ansiedade.

Identifique os seus gatilhos. Pense no que o motiva a mudar. Peça para outras pessoas o auxílio de que precisa. Fique vigilante quanto às suas responsabilidades. Troque o hábito por outro comportamento.

Entenda o ciclo do hábito. Isole a sugestão errada. Mude a rotina, se necessário. Use o pensamento invertido. Deixem-se lembretes. Prepare-se para deslizes. Tenha um plano de backup. E principalmente, abandone a mentalidade de tudo ou nada.

5. Dedique-se a ser útil e a gerar o maior valor possível para todos ao seu redor.

Para ser útil, deve-se posicionar-se na janela das oportunidades, desenvolver competências e conseguir ser usado de forma vantajosa ou benéfica para diversos fins. Significa que uma pessoa útil fica preocupada em designar, comprometer ou ceder.

Embora agendar suas prioridades seja uma maneira de se dedicar a alcançar o sucesso, é igualmente importante certificar-se de que você está dedicando seu tempo a trabalhar nas partes mais essenciais de seus objetivos a qualquer momento.

Sempre é o certo a fazer se for útil, seja em termos de tempo, dinheiro ou energia. A colaboração é mais importante que nunca, apesar de ser mais desafiador. Além de tornar as circunstâncias um pouco mais favoráveis, ser útil também pode aumentar o seu senso de vitalidade.

Imagine-se em diferentes situações. Aumente seus conhecimentos e tire proveito de tudo o que aprender de forma útil. Tenha um objetivo em mente e treine sua consciência para persegui-lo.

O enfraquecimento da identidade provavelmente será desastroso para seu senso de utilidade. Ao não deixar que sua identidade seja distorcida pelo que você faz, você ganha espaço num mundo que cultua as coisas inúteis.

6. Aprenda a escrever, estruturar ideias e argumentar o que pensa.

Você precisa exteriorizar suas ideias, expressá-las, a fim de pensar sobre as coisas. CS Lewis escreveu: “Você não sabe o que pensa até ler o que escreveu”.

A arte de escrever é o esforço para ser preciso, mantendo uma expressão clara e eficiente, adotando uma capacidade sem limites de ser um comunicador que se baseia em uma mensagem concisa, eficiente e clara.

A escrita só tem sentido ao ter uso adequado da linguagem do real. Após se interessar não só por repetir ideias, mas sim compreendê-las — isto é, descobrir suas origens, saber como podem ser aplicadas na vida pessoal e reconhecer o tamanho e o impacto das ideias — , podemos analisar nossas estruturas frouxas e enriquecer nossos argumentos.

Antes desse exercício de honestidade intelectual consigo mesmo, qualquer ideia que defendemos somente pela paixão, tem o efeito de munição de festim. Faz barulho, mas não é letal. Parece perigoso, mas é apenas encenação.

Até dominar os instrumentos expressivos, não dominará sua mente. Se você começa a estudar ideias se concentrando em concordar com todas elas, você nunca aprenderá a pensar, ficará sempre um farsante.

A escrita te ajuda a perceber que uma coisa é a linguagem como um instrumento concreto, vivo e sendo usado livremente; a outra, é a linguagem como objeto de estudo.

Para uma vida competente, produtiva, segura, original e engajada, pense bem sobre questões importantes e as utilize de forma útil. A melhor maneira de rastrear-se é por meio da escrita.

Isso acontece porque a escrita melhora a capacidade de memória, facilita a releitura de conceitos e torna o pensamento mais nítido quando comparado com a realidade.

Sua mente, por fim, é organizada verbalmente, nos níveis mais elevados e abstratos. Dessa forma, se você aprender a pensar através da escrita, terá uma mente bem estruturada, mais eficiente e bem fundamentada e segura.

@lealmurillo | Jornalista | Top Voice Linkedin | Palestrante e Professor | Storytelling e Conteúdo

https://www.murilloleal.com.br/ocursoaovivo

CURSO DE STORYTELLING| SITE | LINKEDIN | LIVRO GRATUITO

--

--

Murillo Leal

#Jornalista e #escritor • TOP VOICE #linkedin 390 mil seguidores • Especialista em #storytelling • Colunista @rockcontent | murilloleal.com.br